Loja

/Loja
  • O jovem garoto Nintrevi tem tudo que se pode amar: um irmão, um pai e uma mãe. Porém, ele vive em um reino ameaçado por forças que vão além da sua compreensão e da sua capacidade de defesa. O reino é atacado pelas dores, e o jovem perde sua família para um bando de covardes, que só sabem atacar em grupo. É aí que ele encontra um demônio, Finiditra, que o prepara para sua vingança contra aqueles que o fizeram sofrer. Cheio de sangue, ódio e vingança, imerso em forças que vão além da compreensão humana, O Nascer de um Rei capta a vida sofrida de um jovem que nasceu sem oportunidades.
  • QUANDO SE FALA EM TRAIÇÃO, de imediato imagina-se o côn­juge. As palavras relacionadas à traição nos remetem dor, abandono, frieza, mentiras e uma infinidade de sentimentos que descaracterizam a lealdade. No entanto, podemos ser traídos pelos amigos, pela famí­lia e principalmente por nós mesmos. Aquilo que parecia ser para sempre deixa de existir e dá lugar a perguntas como: Sou capaz de perdoar uma traição? E se eu fizer o mesmo? O que fazer agora sem a presença daquela pessoa que eu estava acostu­mado(a)? A vida continua, mesmo se o “outro” estiver ou não ao nosso lado. Superar perdas, ir em busca da realização dos nossos sonhos, aceitar que o outro também tem poder de decisão independentemente da vontade que se tem, descobrir capacidades, ir além dos limites e per­mitir que as mudanças façam parte de cada etapa da vida são tarefas árduas. Encare a vida como uma viagem de trem, na qual embarcamos com um bilhete de ida sem volta para lugares indeterminados, permitindo que durante o percurso você recolha e repasse o melhor de cada pas­sageiro, ainda que ele decida descer numa estação antes da sua. A vida é somente um passeio, colora e aproveite a paisagem. Traiu e te deixou. Você vai sofrer ou agradecer? Amo essa vida!
  • Caso você encontre uma minhoca no seu jardim, lembre-se que em algum lugar está Kil, a protagonista desta história, que povoará sua cabeça com caraminholas que fazem refletir e divertir. Depois de conhecê-la, você nunca mais a esquecerá!
  • Desenvolvido com o carinho e determinação que caracterizam suas conhecidas convicções, o autor inicia seu livro rememorando sua infância em Honório  Gurgel, onde viveu por largo tempo. Prossegue em seu precioso relato, reportando-se à sua formação primária naquele conhecido subúrbio carioca, seguindo-se um privilegiado passeio por seu aperfeiçoamento secundário nos Ginásios Professor José Accioli e Brigadeiro Schorcht. Nestas instituições passou a conviver mais de perto com uma gama de excepcionais professores, verdadeiros ícones vivos na arte de ensinar, dentre os quais destacou, com o brilhantismo de sempre, a figura verdadeiramente humana e profissional da Professora Henriette de Holanda Amado, entre outras de igual valor. Já consciente de sua capacidade estudantil, revela, com carinho e perspicácia, sua memorável passagem por outro estabelecimento escolar de inesquecíveis recordações – Colégio Visconde de Cairu – dirigido pelo Em. Prof. Enéas Martins de Barros, na época um educandário idealizado pelo Governo do Estado como modelo para expandir novas experiências educacionais na ex-capital federal, onde o autor se formou no antigo curso científico, em 1961, muito bem colocado, como sempre, em sua caminhada incansável na busca da ciência do conhecimento.
    Carregado de exemplos dignos de destaque, Flashes de uma vida segue nos envolvendo em um verdadeiro rodamoinho de emoções e lembranças, onde o autor deixa à mostra os verdadeiros contornos de sua notável formação cultural, conjugados a uma variedade incrível de preceitos e noções próprias de sua personalidade, que resultaram em sua excelente ascensão profissional, como Professor, Defensor Público, Promotor de Justiça, Procurador de Justiça, Advogado, e como palestrante kardecista, quando, finalmente, passa a transferir a uma seleta plateia suas experiências espirituais, vivenciadas no entardecer de sua trajetória humana.
  • Você pode estar se perguntando: o que significa “desbugar a mente”? Significa ter a mente livre de bugs, isto é, bloqueios emocionais que impedem você de realizar seus objetivos e sonhos. Meu propósito neste livro é apresentar o método Inner Dev ® (Desenvolvimento Interior) para que você tenha a oportunidade de colocá-lo em prática a partir de sua leitura e, assim, por meio de uma linguagem simples, aprender a remover ou minimizar esses bugs. Saiba que, ao desbugar a mente, uma pessoa poderá se sentir mais segura, autoconfiante, realizada e próspera, tanto no plano pessoal como profissional. Ela terá, também, a oportunidade de descobrir o que a Psicologia Positiva chama de “felicidade de longa duração”, que é um sentimento focado na valorização dos momentos simples da vida, como aquela motivação interna que temos para nos levantar da cama todas as manhãs e realizar nosso propósito. É isso que espero que aconteça com você, caso decida caminhar comigo através das páginas deste livro.
  • A atividade legiferante, embora seja atividade típica do Legislativo, recebe influência exacerbada do Executivo, como manifestação da falha do sistema de freios e contrapesos. Tal falha, contudo, não se dá em razão exclusiva do aparato jurídico existente. Algumas prerrogativas atípicas da função executiva extrapolam os princípios informadores do sistema (e do próprio Estado Democrático), porém a principal lacuna do sistema não está no aspecto formal da norma jurídica, mas no plano da aplicabilidade do texto da lei. O culto ao Chefe do Executivo, as ideologias nacionalistas e populistas, a personificação do poder, os lobbies, a história de dominação, são fatores sociológicos e políticos que alteram a eficácia do sistema constitucional. A prevalência do Executivo em relação ao Legislativo na atividade legiferante é fruto de um contexto histórico, cultural, social e político, que restou por ser incorporado na lei maior do país.
  • Após uma breve visão, em um sonho real, comecei a meditar sobre o movimento dos astros, o tempo e suas possíveis dimensões. Com uma nova percepção, tento expressar nesta obra meu assombro do tempo de uma vida humana com relação a este Universo. Abuso da lógica e da razão para tentar, mesmo que por segundos, vislumbrar a brevidade da vida neste planeta e sua possível projeção eterna, tão desejada por todos. Espero que esta intensa e breve estória possa expandir as percepções e determinar um novo caminho para novos questionamentos.
  • Uma belíssima relação entre a lente e o olho do artista da imagem. Um livro perfeito, com mensagens para quem procura um modelo de liderança baseado em valores humanos e profissionais. O autor oferece muitas ideias para quem busca ser diferenciado no universo artístico. O propósito deste livro é que a criatividade seja intransponível na alma e corações artísticos. Que esta leitura possa ajudá-lo a não ser relativamente insensível às preocupações dos outros. Não tenha atitudes ou comportamentos voltados para si mesmo. Que deste aprendizado você possa ensinar o seu próximo. Minha pretensão não é ser um arquétipo da arte, mas transferir o meu conteúdo e experiência para ajudá-lo em sua vida pessoal e profissional. Acredito que: ‘’Herança é aquilo que você deixa para a pessoa, e legado é aquilo que você deixa na pessoa’’. Metáforas da lente tem a intenção de fazer o leitor pensar e repensar.
  • Pessoas convivem, mas não se conhecem. Casais vivem juntos, mas não se conhecem. Quem você permite que chegue bem perto das suas dores? Com quem você conversa sobre aquilo que transborda em você? É muito difícil se relacionar com quem não se entrega. Não estou dizendo que temos de contar a nossa vida aos quatro cantos do mundo, não é isso. Achamos que sabemos como as pessoas pensam ou como se sentem. Então, vem um filme na minha memória e mostra como a vida funciona, como somos na intimidade… Por baixo de cada um de nós existe uma história a ser contada. Por fim, quantos de nós agonizam diante das próprias fragilidades? Não deveríamos ser mais tolerantes? Para melhor entender cada um basta um pouco mais de diálogo, um pouco mais de entrega – para isso que serve a literatura, o cinema: parar sairmos da superfície e olharmos mais ao horizonte e ver a emoção alheia, lá onde tudo se explica.
  • Este livro relata a história de quem sofre com Transtorno Obsessivo Compulsivo, TOC. Para quem não tem mais esperança em tratar seus pensamentos, tiques, comportamentos repetitivos, e mesmo para aqueles que já tentaram o suicídio. O livro é escrito por quem tem essa doença e todos os dias luta contra suas compulsões e seus medos. Para quem não vê mais solução. TOC não tem cura, mas pode ser diminuído com terapia e medicamentos. Esta é uma mensagem e a forma que a autora encontrou de compartilhar suas perdas e arrependimentos por ter entregado sua vida nas mãos de uma fantasia criada pelo seu próprio pensamento doentio.