Conselhos de escrita de Gabriel García Márquez

//Conselhos de escrita de Gabriel García Márquez

Imagem: Colita/Corbis

 

Você pode até nunca ler lido os livros de Gabriel García Márquez, mas com certeza já ouviu falar do autor e de suas publicações. Entre suas obras estão Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera, Ninguém Escreve ao Coronel, O Outono do Patriarca e Crônica de uma Morte Anunciada. Além disso, em 1982 ganhou o Prêmio Nobel da Literatura.

 

O colombiano é considerado um dos maiores escritores do século XX e teve seus livros traduzidos para 36 idiomas com mais de 40 milhões de livros vendidos em todo o mundo.

 

Certa vez ele escreveu 16 conselhos de escrita que podem ser úteis tanto para escritores já consagrados quanto para iniciantes:

 

1- Uma coisa é uma história longa e outra uma história alongada.

 

2- Um escritor pode escrever o que lhe dá na cabeça, desde que seja capaz de acreditar no que lhe vem à cabeça.

 

3- Não acredito no mito romântico de que o escritor deve passar fome, deve estar f***** para produzir.

 

4- É mais fácil pegar um coelho que um leitor.

 

5- O final de uma reportagem é preciso ser escrito quando estás na metade do texto.

 

6- Há que começar com a vontade de que aquilo que escrevemos será o melhor que nunca foi escrito, porque logo e sempre fica algo dessa vontade.

 

7- Quando você se cansa escrevendo o leitor se cansa lendo.

 

8- Não devemos obrigar o leitor a ler uma frase de novo.

 

9- O autor lembra mais como termina um texto que como começa.

 

10- Escreve-se melhor tendo comido bem e com uma máquina elétrica.

 

11- O dever revolucionário de um escritor é escrever bem.

 

12- Simplifiquemos a gramática antes que a gramática termine por simplificar nós mesmos.

 

13- Quase sempre que se evitam os advérbios comuns, na mente se encontram formas belas e originais de dizer as coisas.

 

14 – Para ser um bom escritor é importante ler muito, de frente para trás, os grandes autores que criaram e alimentaram nossa língua e aqueles que segue inventando-a todos os dias. Não há outra maneira de aprender a escrever.

 

15- O ofício do escritor é talvez o único que se torna mais difícil à medida que mais se pratica.

 

16- Dizem que é preciso começar, e escrever, e escrever, até que logo se sinta que as coisas saem por si só, como se alguém as ditasse no ouvido ou como se quem as escreve fosse outro.

 

Por Teca Machado

By |2021-10-15T14:36:54-03:0015 de outubro de 2021|

Deixar Um Comentário