Guia de Primeiros Socorros para o Escritor Iniciante – Parte 1

//Guia de Primeiros Socorros para o Escritor Iniciante – Parte 1
Crédito imagem: Freepik

Mais difícil do que colocar um ponto final na sua história é escrever a primeira palavra, principalmente se você for um escritor iniciante. Nada mais normal do que se sentir perdido no começo, sem saber para onde ir ou como colocar no papel aquela ideia que na sua cabeça parece tão boa. Foi pensando em ajudar a essas pobres almas que a escritora e revisora Cristina Lasaitis criou o Guia de Primeiros Socorros para o Escritor Iniciante.

Segundo ela, estava recebendo muitos e-mails com dúvidas e todas elas eram muito parecidas. Então pensou: “por que não escrever autoajuda para escritores?”. E assim surgiu o guia. Selecionei e resumi nesse e no próximo post algumas informações dos pontos tratados por Cristina, mas você pode ver o material completo aqui.

Guia de Primeiros Socorros para o Escritor Iniciante

  • O que é preciso para escrever um bom conto/romance?

Essa é uma pergunta muito subjetiva. Subjetiva mesmo, pois não existem fórmulas infalíveis e não há regras sem exceções. Escrever bem demanda um pouco de feeling, talvez um pouco de intuição, mas principalmente senso crítico, habilidade e experiência.

1) Planeje o seu texto

Fazer um roteiro do que irá escrever, listando os acontecimentos principais da história dentro de uma sequência lógica, é a melhor maneira de controlar a condução da narrativa.

Repito que planejar é uma forma de ter algum controle, pois durante a redação é comum os acontecimentos fugirem ao plano, novas ideias surgirem gerando desvios na história, e até mesmo um final inesperado se impor antes do desfecho previsto.

2) Pense em gêneros literários

Não digo que você é obrigado a decidir-se por um gênero ou outro. A maioria dos autores conduzem suas histórias de forma intuitiva. Mas conhecer os gêneros literários é algo que pode ajudá-lo a compreender melhor o que você quer da sua história. É mais uma forma de nortear a construção da narrativa e pode poupá-lo da dor de cabeça de se perder durante a escrita, começando uma história que parece comédia, depois fica com cara de melodrama e acaba como tragédia, só para citar um exemplo esdrúxulo.

3) Crie conflitos e explore a tensão emocional

Quando falo em conflito, note que não precisa ser nenhuma guerra declarada. O conflito pode ser sutil: um dilema, uma busca, um problema que demanda atitudes e ações do personagem. O papel do conflito é conferir tensão emocional à trama, e sabendo explorar a tensão você poderá tornar a sua história especialmente emocionante para o leitor.

4) Acerte o ritmo

Não é fácil descobrir qual a medida certa de contar a sua história. Se estiver escrevendo um conto, não há espaço para minúcias e prolixidades (ou encheção de linguiça). Já nos romances há bastante espaço para o detalhamento. É esperado que o romance tenha uma barriga, uma determinada quantidade de gordura textual que serve para enriquecer os entornos da trama, criar uma ambientação rica, gerar pausas e respiros em que é possível a convivência do leitor com os personagens, potencializando o envolvimento emocional e a aproximação empática. No entanto, a ideia de que se dispõe de espaço de sobra pode ser também traiçoeira: ao querer engrossar o livro, o autor pode incorrer no erro de produzir texto demais para conteúdo de menos.

Procure usar o espaço disponível a seu favor. Escreva tudo o que lhe vier à mente, mas ao final do texto não deixe de reler e de cortar tudo o que for excessivo e comprometer a fluidez da leitura.

5) Seja original.

Para ser original às vezes é necessário explorar os recônditos mais ocultos da imaginação, é preciso andar na contramão, ser meio louco e meio criança, não economizar na ousadia. Ser inventivo é fundamental em qualquer departamento da arte, mas isso não basta. Você só saberá o quanto pode ser original conhecendo o gênero literário em que escreve. Hein? Repito: você só terá uma medida da sua originalidade conhecendo as obras que já foram publicadas no gênero literário em que você escreve. Isso significa que você deve ler e pesquisar muito a fim de saber exatamente o que fazer para fazer diferente.

Continua no próximo post.

Por Teca Machado

By |2020-02-27T10:57:54-03:0027 de fevereiro de 2020|

Deixar Um Comentário