Marketing no “mundo real” - Editora Albatroz

Marketing no “mundo real”

 

Com as redes sociais e a internet como ferramenta potente de marketing, muitas vezes acabamos esquecendo de promover o livro também no “mundo real”. Ser um escritor é muito mais do que apenas sentar numa cadeira, passar meses escrevendo, enviar para uma editora ou publicar de forma independente, promover nas redes sociais e começar tudo de novo. O trabalho também é feito no dia a dia e na rua.

Quando o escritor tem sua obra apenas em e-book, ele fica mais limitado mesmo ao mundo da internet, mas se ele possui exemplares físicos pode promover seu livro de algumas outras maneiras:

  • Conversar com livrarias

Nem todas as livrarias aceitam vender livros recebidos diretamente do autor, principalmente se forem parte de grandes redes, mas muitas fazem essa parceria sem intermediários. Nesse caso o trabalho precisa ser feito cara a cara, batendo na porta de livrarias e de cafés oferecendo sua obra para venda (consignação é uma ótima forma de fazer isso). Você vai receber muitos nãos, mas vai receber sins também, por isso é preciso correr atrás.

  • Fazer tardes/noites de autógrafos e participar de eventos e feiras

Mesmo que seu livro já tenha sido lançado, realizar e participar de eventos para promover a obra é uma ótima forma de chamar a atenção de novos leitores. Escolha um lugar bacana e convide amigos, colegas e desconhecidos. Melhor do que fazer esse tipo de reunião numa livraria é fazer num café, onde há grande fluxo de pessoas, principalmente no fim de tarde, e muitos deles não cobram o aluguel do espaço.

A Editora Albatroz ajuda os autores a fazer esse lançamento!

  • Distribuição de marca-páginas/brindes

Essa dica é válida para quem tem a obra só em e-book também, porque se tem algo que leitores gostam é de pequenos mimos dos livros. Você pode fazer marca-páginas de papel ou de imã, bottons, ecobags, bloquinhos e o que mais a sua imaginação – e seu orçamento – mandarem. Distribua entre amigos, leitores, fãs, em livrarias, em cafés, em lojas, na rua, onde for.

Promover um livro é um trabalho de “formiguinha”. A cada dia você consegue ir um pouco mais longe. Não desista, porque com o tempo os resultados começam a aparecer. São raros os casos de escritores best-sellers que fizeram sucesso do dia para a noite. Foi preciso suor, esforço e dedicação.

This Post Has 2 Comments

  1. Tenho sete livros publicados, sendo cinco em impresso e dois em e-book. Há dois anos estão à venda em várias livrarias. Mas até agora não recebi nem um centavo de Direitos Autorais. Isto porque as livrarias recebem dezenas de títulos por dia. Se o autor não for um escritor consagrado, o livro não vai ser vendido mesmo. Para que o leitor compre o livro, ele precisa procurar pelo título, mas se ele (o leitor) não sabe que o livro existe em tais livrarias, como ele vai comprar? O autor precisa divulgá-lo nas redes sociais (Internet). O autor já pagou para publicar e ainda precisa pagar para divulgar. E o lucro? A solução é o próprio autor vender os livros em feiras ou de porta em porta. Ele paga para publicar, compra os próprios livros para ele mesmo vender. Pergunto novamente: E o lucro?
    Nesse processo todo, só quem ganha são as editoras.
    Dificuldades à parte, a publicação sob demanda é a melhor solução. Digo isso porque o meu livro mais vendido foi aquele que eu mesmo vendi, em feiras e de porta em porta.
    As editoras tradicionais e/ou comerciais só publicam livros se o(a) autor(a) for uma pessoa famosa, mesmo que não tenha nenhum talento literário!
    É a minha opinião!
    Você, que sonha em ser escritor(a) famoso(a), não desista de seus sonhos! Eu não vou desistir nunca!

  2. Eu vi uma propaganda de vocês para o autor publicar até um livro. Ou se houver pedido de apenas um livro, você o imprime.
    Gostaria de saber qual o percentual que o autor ganha por cada livro vendido considerando que ele quem arcou com os gastos da publicação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *