O ócio criativo na quarentena

//O ócio criativo na quarentena
Crédito da imagem: Pixabay

Você já ouviu falar do ócio criativo?

A ideia proposta pelo professor e sociólogo italiano Domenico de Masi na década de 90 é a de saber conciliar o trabalho/estudos e o lazer, de forma a equilibrá-los. É preciso não se sobrecarregar, para assim extrair o máximo de cada momento.

No livro O Ócio Criativo, Domenico mostra como alegria e satisfação pessoal no dia a dia aumentam a criatividade, o que amplia o potencial de imaginação necessário para que o seu desempenho produtivo no trabalho seja maior.

Quando escutam a palavra ócio, muitas pessoas pensam que é o mesmo que preguiça. Mas Domenico acredita que quando aliado com a criatividade não é o que acontece. Porque, na verdade, ócio criativo não significa não fazer nada. Ele é a união entre trabalho, estudo e lazer, de forma que alguém possa experimentar a riqueza gerada pelo trabalho, o conhecimento ocasionado pelo estudo e a alegria proporcionada pelo lazer.

Ócio criativo na quarentena

Mesmo de casa muita gente está trabalhando na quarentena que o país todo está vivendo. É um tempo que podemos usar para produzir, estudar, resolver pendências e muito mais. O problema é que muitas vezes o home office nos leva a trabalhar até mais do que em escritórios. Mas esse é um momento que devemos fazer uso do ócio criativo, principalmente escritores.

Esse é um período necessário para “limpar” a mente, para fazer atividades que te dão prazer. A gente sabe que escrever, para autores, é um ato de prazeroso, mas ainda assim é trabalho, não necessariamente um hobby. Então, vá ler outros livros, revistas em quadrinhos, assista filmes e séries, escute músicas que te inspiram, brinque com seu animal de estimação e até mesmo durma. Em momentos fora da quarentena a lista do que fazer em ócio criativo é ainda maior, já que hoje a maioria de nós está confinada às nossas casas e as opções estão reduzidas.

De acordo com De Masi, o ser humano passa três vezes mais tempo “não fazendo nada” do que executando funções profissionais. Então, é preciso saber aproveitar esses períodos de maneira criativa e prazerosa para ativar melhor o cérebro.

O professor acredita que não adianta forçar a mente para fazer algo, resolver um problema, quando ela já está cansada. Se a pessoa insistir nisso o resultado pode ser medíocre e insuficiente, já que momentos de sobrecarga não revelam o melhor da produtividade.

Então a dica é: use o ócio criativo na quarentena para escrever livros ainda melhores.

Por Teca Machado

By |2020-04-10T13:12:55-03:0010 de abril de 2020|

Deixar Um Comentário