Tertúlia dos Vales

/Tertúlia dos Vales
Tertúlia dos Vales2018-08-05T22:43:37+00:00

Project Description

Sinopse

Oito poetas numa tertúlia, oito mundos de poesia e prosa, uma usina de letras, um garimpo de preciosas pedraspalavras, fábrica de versos carregados de água e terra, fogo e ar, tudo transpirando ouro, rico manancial de ideias num gostoso jeito de luta defendendo vidas, som de nascentes jorrando água,  cheiro de corpos perfumando amores.
Elas quatro e quatro eles. Marina, Isis, Vanessa e Cris. Sabiá Coitelinho, Rafael, Vinicius e Luiz. Oito belos movimentos de grandeza, em ritmo de  criação, pulando de galho em galho, como palavras procurando ninhos, como passarinhos, igual cartas no baralho.
Eu, andante nessas veredas Mucuri-Jequitinhonha, paro pra ver de perto e estatelado me vejo de coração na mão, no portal de belas construções dessa feliz arte escrita, divina quando falada.
Garimpeiras e garimpeiros rasgando minas, montados em seus anseios,  galopando altivos sonhos, conquistando corações sensíveis. São poetas fazendo o belo da palavra de amor e paz ficar mais visível aos olhos do mundo. Então eu me deleito. Dou vivas à boa nova! Agora é levar a palavra até a praça, onde ela alimenta gente e se enche de graça, pinta-se de estrelas e se engalana de lua e dorme no céu no colo de Deus. Poesia é na praça, onde o verso se sente criança, esparrama-se no chão e salta no palco, balança estruturas e se veste de deusa na lua-de-mel com a alma do povo, como nessa brilhante e valorosa “Tertúlia dos Vales”.
-Gonzaga Medeiros

livro publicação poesias poesia sabiá coitelinho gente simples humilde terra editora albatroz publicação como publicar seu livro meu publique seu livro como publicar meu livro

Ficha Técnica

Título do livro: Tertúlia dos Vales
Autor: Rafael Avelino (org.)
Ano de publicação: 2018
Formato: 14×21
ISBN:  978-85-52955-07-8

2 Comments

  1. Amanda Carolina 30 de agosto de 2018 em 19:24 - Responder

    Ganhei o explendido Tertúlia , e lendo no onibus Isis Caldeira, me fez transbordar em sentimento com ” Onde mora meu abrigo ?
    Você foi maravilhosa com as palavras , descreveu tudo que está em mim, ( meu coração ficou arisco – Não criei armadura – Intensa mais que a morte). Obrigada por me fazer ver que ” não virarei apenas pó”.
    Amei o trabalho de todos vocês ,são altamente talentosos. Sucesso . Um abraçasso mais que apertado em Rafael Avelino, ele tem morada eterna em ” Meu coração desconfiado” .

    • Ísis Caldeira Prates 6 de setembro de 2018 em 11:16 - Responder

      Muito obrigada minha querida Ananda! Fico extremamente feliz pela poesia compartilhada! Pode acompanhar mais pela minha página no Facebook “Ps : Ísis”

Deixar Um Comentário