Como encontrar um agente literário

//Como encontrar um agente literário

Imagem de Marisa Sias por Pixabay

 

No post anterior (leia aqui) falamos sobre o que são os agentes literários e como trabalham. Agora trazemos dicas de como encontrar esses profissionais.

 

Não basta querer ter um agente literário: ele precisa querer atender ao autor também. Não é simplesmente contratar um serviço e pagar por ele, é mais uma parceria e o agente só vai aceitar se acreditar no potencial desse escritor.

 

Então aqui vão dicas para encontrar um agente ou agência literária:

 

1- Escreva um livro excelente

 

A não ser que você já seja famoso por algum motivo ou já tenha um livro no mercado – tradicional ou independente – que fez muito sucesso, primeiro é preciso escrever um livro excelente. E para ser enviado para um agente é preciso que ele esteja finalizado, editado, revisado e seja a melhor versão de si.

 

Dificilmente agentes escolhem obras inacabadas ou com necessidade de inúmeras alterações para agenciar. Eles desejam livros ótimos, originais e prontos para apresentar para editoras. E se você já tem outras obras, apresente aquela que considera a melhor de todas.

 

2- Pesquise agentes/agências

 

Assim como há editoras que publicam os mais variados gêneros literários, há inúmeras agências/agentes literários que representam autores dos mais diferentes estilos. Por isso é muito importante pesquisar antes de enviar o seu original para que você não perca nem o seu tempo e nem o do profissional. Encontre aquele ou aqueles que acredita que mais encaixem com a sua obra e com a sua identidade como escritor.

 

3- Respeite as regras das agências/agentes

 

Cada agência/agente recebe manuscritos de determinada forma e a maioria não aceita obras não solicitadas. De nada adianta enviar em qualquer época do ano se a empresa só abre para recebimento um período num determinado mês, por exemplo. Descubra as orientações que cada agência determina e as siga da melhor maneira possível.

 

4- Escreva uma carta de apresentação

 

Quase tão importante quanto enviar o manuscrito é enviar a carta de apresentação. Até porque muitas agências recebem primeiro a carta e se gostarem dela solicitam o livro.

 

Mais do que bonitinha e interessante, é preciso lembrar que nesse caso ela é um discurso de venda. O escritor precisa se apresentar e prender a atenção de quem estiver lendo a ponto de ele ficar curioso e querer ver o manuscrito. É um texto extremamente importante e que pode mudar sua carreira.

 

5- Não desista

 

Assim como no caso de editoras, não desista após o primeiro não que receber. Enxergue a negativa como uma oportunidade: de melhorar o texto, de melhorar a carta de apresentação, de procurar uma agência que tenha mais a ver com você, de se aprimorar como escritor até o próximo envio e mais.

 

Por Teca Machado

 

 

By |2021-09-09T14:28:45-03:009 de setembro de 2021|

Deixar Um Comentário